quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Festa da Democracia

Ontem, no Conselho Deliberativo do INTER, presenciei e participei de um dos momentos mais emocionantes da minha curta história de clube: o primeiro turno das eleições para presidente. Segundo os mais antigos, a votação de ontem foi a maior em muitos anos, com mais de 310 conselheiros comparecendo às urnas.
Mesmo aqueles que sequer conseguiam subir as escadas do salão nobre do Conselho foram até o clube e usaram seu direito de voto. Foi impressionante ver algumas pessoas, como o conhecido Dr. Lia Pires, mesmo com todas as dificuldades, chegando em frente à escadaria do salão nobre e votando em uma urna itinerante, feita especialmente para aqueles que não teriam condições de chegar no piso onde estava localizada a seção eleitoral.
Foi gratificante trabalhar durante esta eleição, ver que no rosto de cada conselheiro estava um ar de dever cumprido, de cidadania e, mais, de amor incondicional ao clube. Ali, naquele momento, não éramos chapa 1, 2 ou 3, éramos todos trabalhadores incansáveis na busca do melhor para o clube.
Frustrante o resultado? Nem um pouco. Nosso movimento mostrou que com muita força, coragem, unidade e, principalmente, trabalho, há oportunidade para todos sem personalização, sem dizer que apenas um nome deve representar o todo. Ontem éramos uma unidade coesa, como sempre procuramos ser e ainda somos, sofremos com a votação, mas ficamos alegres por saber que nossas propostas foram ouvidas. Que 90 conselheiros, de um total de 311, entenderam nossa mensagem propositiva, procurando apenas e tão somente brigar pelo engrandecimento do clube. Não estamos para criticas, estamos para sugestões, idéias, planejamentos, esta é a nossa meta e conseguimos passar este recado a todos. Estamos orgulhosos da democracia que ajudamos a amadurecer no INTER, satisfeitos com o resultado e ainda mais felizes com as palavras de apoio que recebemos de todos os candidatos e movimentos, mostrando que somente com respeito é que se constrói um clube forte, com um conselho propositivo, participativo é que conseguiremos alcançar mais e mais objetivos.
Digo novamente, ruim? Não, nem um pouco, a democracia venceu, e vamos continuar focados na divulgação de nossos planos, ações e idéias, pois acima de tudo somos colorados e como tais, contentes pela participação excepcional de todos os conselheiros que votaram e para aqueles que ficaram no plenário aguardando o resultado final.
O INTER, novamente, dá mostras de sua grandeza a todos que dela queiram tirar alguma lição.

Leonardo Luis Ligabue Cardoso
Conselheiro – Convergência Colorada