quinta-feira, 17 de maio de 2012

Palestra com Fernando Ferreira da Pluri Consultoria


Dando sequência à realização de eventos relacionados à gestão de clubes de futebol, o Convergência Colorada trouxe a Porto Alegre o economista Fernando Pinto Ferreira, especialista em Gestão e Marketing do Esporte e Pesquisa de Mercado e consultor da Pluri Consultoria para a palestra "O potencial de consumo do torcedor e as estratégias de internacionalização dos clubes: é possível um supertime global brasileiro?"

Autora de estudos e pesquisas como "O potencial de consumo das torcidas" e "O que faz uma torcida crescer?", entre outros, a Pluri Consultoria, com sede em Curitiba, atua no segmento de economia, economia nos esportes, negócios e inteligência de mercado.

A palestra aconteceu no dia 14 de maio, às 19h no auditório do Edel Trade Center com participação de
 integrantes do Convergência Colorada, convidados e colorados sócios do Internacional que se inscreveram através do nosso site. 


Ferreira iniciou a palestra com uma pergunta: por que a Seleção Brasileira é conhecida e admirada e os clubes brasileiros não? Ao responder a questão, ele faz a ressalva que a situação econômica atual é favorável para os clubes brasileiros permanecerem com seus craques e explorar outras oportunidades.

A oportunidade discutida na palestra - ser um supertime global - requer, segundo o palestrante, de algumas condições: tradição, torcida, visibilidade, porte financeiro, ambiente político, estrutura organizacional eficiente (modelo empresarial) e responsabilidade orçamentária. A última condição Ferreira faz questão de enfatizar que poucos clubes brasileiros hoje atendem. 

Ele também ressalta algumas pré-condições estruturais que atualmente dificultam o crescimento dos clubes, como a política do futebol brasileiro, os calendários estaduais, a pouca visibilidade internacional, a falta de união dos clubes e a falta de qualidade na gestão das entidades desportivas.

Analisando o cenário atual, o palestrante vê em alguns clubes da Inglaterra (Manchester United, Chelsea, Liverpool), Itália (Inter, Milan, Juventus), Espanha (Real Madrid e Barcelona), Alemanha (Bayern de Munique) e ainda França (PSG) a condição de superclubes globais. Para estes clubes, ele apresentou também a atual estrutura societária.

No segundo momento da palestra, Ferreira apresentou dados sobre os clubes brasileiros, desde o faturamento no último período e endividamento ao mapeamento das torcidas. O Inter, por exemplo, possui segundo pesquisa da Pluri 5,8 milhões de torcedores, sendo 4,4 milhões de torcedores no Rio Grande do Sul (76%) e 1,4 milhão (24%) fora do estado. 

Outro dado é de que 14% da nossa torcida consumiu no último ano algum produto do Clube - o percentual mais elevado entre os clubes brasileiros pesquisados. O Rio Grande do Sul é o estado com maior torcida para times locais: 97,2%. 

Com relação aos dados financeiros dos clubes expostos, Ferreira defende a transparência e ressalta que a importância da separação entre  a política e a gestão profissional, algo feito em poucos clubes hoje e cuja continuidade é necessária. 

Por fim, ele apresenta a nova geração dos estádios (reformados e em construção) como a grande oportunidade dos clubes, tendo em vista a possibilidade de aumento de público e já que a renegociação dos direitos de televisionamento foi desperdiçada numa negociação ruim para a média geral.

A palestra cumpriu com seu objetivo de qualificar e buscar sempre uma formação continuada do movimento Convergência Colorada. Embora a atividade fim do Internacional seja o futebol, é evidente a importância de outras áreas como o marketing, finanças e administração profissional. Os bons resultados dentro das quatro linhas são reflexos de uma boa gestão e de ações de marketing que geram receitas aos Clubes.

O coordenador Adir Rodrigues fez a apresentação inicial do evento.

Ferreira foi brindado pelo Convergência, recebendo a lembrança das mãos da convergente Suzan Grzegozeski.