quinta-feira, 30 de maio de 2013

Palestra discutiu conceito de governança corporativa

Um conceito defendido pelo Convergência Colorada para uma gestão profissional, a governança corporativa foi tema de palestra temática organizada pelo movimento. O contador e consultor Bolívar Charneski falou no dia 27 de maio no Auditório do Edel Trade Center sobre como a governança se aplica em entidades desportivas, especialmente em clubes de futebol.


Inicialmente, Charneski propôs uma reflexão sobre a longevidade de organizações e porque os clubes de futebol, em maioria, são instituições centenárias. Em contraposição, ele analisou o atual mercado da bola, ressaltando que hoje os times são caros e de qualidade discutível. Os clubes têm como uma base de suas receitas a venda de atletas, porém de um modo geral decrescem no mercado europeu os negócios ou seus valores. Nos últimos anos, os balanços dos clubes mostram dívidas e déficits continuados. E a estrutura das agremiações têm como característica o formato presidencialista com poder muito concentrado, sendo comum ver decisões individuais ou mesmo dirigentes com pouca experiência empresarial administrando áreas movidos em grande parte pela paixão.

Charneski então trouxe um breve histórico do conceito de governança corporativa e definindo-a originalmente como a prática que busca solucionar conflitos de agência. Isto é, um mecanismo de proteção para que executivos não abusem de poder ou executem suas funções de acordo com o interesse dos acionistas de uma organização e contra a inércia ou omissões na fiscalização. Aplicando para a realidade de um clube de capita fechado, como o Internacional, para que se atenda os interesse de seus sócios. "A torcida de um time, seus sócios, são um patrimônio da instituição. Mas como eles são valorizados?", questionou.

Para tanto, a governança tem como princípios a transparência, a equidade, a prestação de contas e a responsabilidade corporativa. Ele cita que, segundo o IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, a boa Governança proporciona aos proprietários a gestão estratégica de sua empresa e a monitoração da direção executiva. As principais ferramentas que asseguram o controle da propriedade sobre a gestão são o conselho de administração, a auditoria independente e o conselho fiscal.

O palestrante explica que o conselho de administração, órgão encarregado para tomada de decisões estratégicas, é o principal componente para um sistema de governança. Ele cita a presença desta estrutura no Santos Futebol Clube, porém explica que num formato que ainda privilegia o poder presidencial acima do conselho. O conselho de administração deve ser formado representantes com conhecimento e experiência na atividade, bem como legitimidade do conselho deliberativo - este uma representação plural do quadro social, agindo como um elo entre sócios e conselho de administração.

Charneski entende que a governança corporativa em clubes de futebol se dará gradativamente. Uma base para se avançar nesse processo são os estatutos sociais.

A análise levou à discussão dos participantes da palestra que, durante toda a apresentação, interagiram com Charneski através de questionamentos e considerações, em especial para o caso do Internacional. Buscando a qualificação de seus integrantes e a promoção de debates entre os colorados, as palestras temáticas do Convergência Colorada abordam temas de interesse à gestão de futebol. Entre os eventos realizados já participaram nomes como João Paulo Medina, Fernando Ferreira (Pluri Consultoria), Francisco Noveletto (FGF), o cineasta Giba Assis Brasil, o advogado Daniel Cravo, o preparador físico Élio Carravetta, o treinador Cláudio Duarte e o jornalista Kenny Braga.